Calibração de Instrumentos como “Fator Competitivo”.

Competitividade. Incentivada pela globalização, a palavra que cada vez mais habita o vocabulário do mundo dos negócios é carregada de implicações. Uma delas é a adequada calibração de instrumentos, por sua vez diretamente relacionada à gestão de qualidade.

Como os clientes devem ser sempre o principal foco das empresas, a qualidade deve ser uma estratégia voltada para ações que propiciem a sua satisfação com o produto ou serviço. É importante mantê-lo satisfeito não apenas durante a venda, mas durante todo o tempo de uso.

Para isso, é preciso que todos os instrumentos de medição envolvidos na fabricação ou na oferta do serviço estejam devidamente calibrados, fornecendo informações precisas de acordo com os padrões estabelecidos.

 

Calibração adequada garante a qualidade da produção

Sem equipamentos bem calibrados a cadeia produtiva pode sofrer com discrepância dos parâmetros de produção, o que leva à confecção de produtos com propriedades originais alteradas e a prestação de serviços deficiente. O consumidor, cada vez mais exigente, migra para a concorrência, fazendo com que a empresa perca a sua competitividade.

Por outro lado, competitividade significa também entregar um produto de qualidade a um custo mais baixo, fidelizando mais clientes e aumentando sua margem de lucro. Mais uma vez nesse sentido a calibração de instrumentos entra em cena como fator competitivo, uma vez que pode reduzir os custos de produção.

Máquinas bem calibradas evitam o desperdício de matéria-prima, aumentam a vida útil de peças e equipamentos como um todo, evitando tempo de ociosidade e gastos com manutenção. A fabricação segue em ritmo constante, sem alterações nem paradas excessivas para manutenção corretiva ou substituição do maquinário.

 

Redução de custos também influencia na competitividade

A calibração é um fator competitividade também ao proporcionar maior segurança no ambiente de trabalho. A medida, que deve ser feita regularmente em todos os instrumentos de medição, evita ainda vazamentos e excessos de pressão que podem ocasionar acidentes, como explosões.

Dessa forma, há redução dos gastos com licenças médicas, substituição de funcionários ou indenizações, o que se reflete em um orçamento mais enxuto e funcionários mais produtivos. É a calibração de instrumentos influenciando na gestão de qualidade.

Consolidação da marca e competitividade

Hoje há uma noção cada vez mais clara entre todos os empreendedores de que a marca é o ativo mais importante da empresa. Ela transmite um padrão de informações que auxiliam os consumidores durante as tomadas de decisão de compra.

Por isso, manter um padrão e uma gestão de qualidade é imprescindível para garantir a competitividade da empresa – a qual é praticamente impossível sem a devida calibração dos instrumentos de medição.

É sempre bom lembrar que a técnica das medições ou metrologia garante a qualidade dos produtos e serviços por meio da calibração dos instrumentos de medição, abrangendo todos os aspectos práticos e teóricos que asseguram a precisão exigida pelo controle de qualidade no processo produtivo.

 

Certificação gera diferenciais e melhorar a competitividade da marca

Dessa forma, a calibração dos instrumentos de medição se torna a base fundamental para a competitividade das empresas. Nesse aspecto, podemos incluir também os diferenciais agregados pela empresa, como as certificações que atestam a qualidade de seus equipamentos.

Estes selos e certificações – fornecidos apenas pelos laboratórios que integram a Rede Brasileira de Calibração (RBC) e que são credenciados pelo instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) – são diferenciadores tecnológicos e comerciais. Eles atestam tanto para outras empresas do ramo quanto para os próprios consumidores finais a qualidade dos equipamentos da sua cadeia produtiva, aumentando a competitividade da marca.

É o caso, por exemplo, da expressão ISO 9000, que designa uma família de normas e técnicas que estabelecem um processo contínuo de melhoria do sistema de gestão de qualidade. A ISSO 9000 confere maior organização, produtividade e credibilidade, aumentando assim a competitividade da marca.

Em seu item 7,6, por exemplo, a calibração tem por definição garantir o controle metrológico dos instrumentos que interferem diretamente na qualidade da produção, evidenciando a melhoria do processo e a qualidade do produto.

Dessa forma, é possível não apenas garantir a qualidade para o consumidor, mas também gerar competitividade para o próprio empreendedor, que muitas vezes não compreende porque seu produto não está sendo bem aceito no mercado ou porque seus gastos têm sido excessivos.

Assim, a calibração agrega ao produto, ao processo e ao consumidor final, aumentando a competitividade da empresa e a fidelização de clientes finais.

 

 

E você, tem feito a calibração de instrumentos de medição de forma adequada? Se quer redução de custos com qualidade para a sua empresa, chame os especialistas da Normatec e peça um orçamento.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *